Cão ou gato? Como saber o que escolher.


Não se esqueça que os animais têm as suas próprias particularidades, personalidades, hábitos. Ter um animal de estimação é uma grande responsabilidade. Ele dependerá de si, ao longo da sua vida. Nunca os abandone. Pondere bem antes de os ter. A recompensa é maior do que todos os sacrifícios. Desfrute da sua companhia e amor. 

Ter um animal de estimação é uma fonte de bem-estar cujos benefícios são comprovados, não só pelos donos, como por inúmeros estudos científicos e sociológicos.

Qualquer pessoa pode ter um animal que lhe fará companhia e em todas as idades a sua presença é benéfica. Tornam-se grandes companheiros e amigos para toda a vida. 

A escolha do animal de estimação nunca deve ser feita por impulso, sem medirmos as consequências dessa nova responsabilidade só porque em determinado momento sucumbimos de afeição por um gatinho lindo ou cachorrinho irresistível. Eles irão crescer, tal como as crianças humanas, passarão por muitas fases e depois de adultos terão necessidades próprias, até se tornarem idosos com limitações e mais carências e necessidades de apoio.

Muitos dos animais abandonados são a consequência direta destas decisões de momento, em que não foram analisadas convenientemente as condições e exigências do animal durante todas as fases da sua vida, como por exemplo o espaço e tempo de que dispomos para cuidar, educar e conviver com ele, as despesas que acarretam, desde alimentação a cuidados de saúde, etc.

Também é importante averiguar antes se alguém em casa tem alergias ou outras doenças incompatíveis para evitar futuro desconforto e/ou abandono.

Se vai oferecer um animal de estimação a alguém, certifique-se primeiro que essa pessoa deseja realmente ter esse animal e se tem consciência das necessidades e responsabilidades inerentes, se é o animal de estimação indicado para o seu estilo de vida e personalidade.

O ideal é normalmente ser o futuro dono a escolhê-lo. Os animais não são bonecos de peluche. Têm sentimentos e vontade, convém que eles também o escolham a si.

Nem todos os animais são adequados para cada um de nós, nem todos se ajustam às singularidades das nossas vidas e personalidades, pelo que, devem ser selecionados de acordo com o nosso estilo de vida, gostos, espaço, e tempo disponível.

Em troca de cuidados básicos, amor e carinho, o seu animal vai retribuir com amor e lealdade incondicional!

Antes de procurar o seu “companheiro” deve avaliar as suas necessidades para saber se reúne as condições necessárias. O local onde vive, se é apartamento ou vivenda, o espaço para o animal viver e brincar etc, é um dos fatores que deve ser equacionado. Outro dos fatores é o económico, há vacinas , esterilização, desparasitações e outras despesas de veterinário e ainda terá de considerar a alimentação- um cão de grande porte come mais e por essa razão torna-se mais dispendioso.

Não deixe de refletir sobre o tempo de que dispõe para o “novo” membro da família. Se viajar muito não convém ter cão ou gato. Se escolher um cão para companhia terá de o levar a passear várias vezes por dia para que se exercite e faça as suas necessidades.

Até terem controlo e aprenderem, urinam e defecam em qualquer sítio, por serem bebés, por isso prepare-se para algumas surpresas desagradáveis quando chega a casa e lembre-se de que tem de o ensinar, tal como faria a uma criança. 

Não se esqueça de apanhar as fezes do seu cão e colocá-las no lixo. Existem uns saquinhos para o efeito, que podem ir presos à trela, muito práticos.

Como as crianças, os animais necessitam de atenção, educação, sentir confiança no seu dono e vê-lo como o líder que o protege. Tudo isso implica tempo e disponibilidade. 

Todos os animais, uma vez que não andam livres na rua, precisam de correr, saltar, brincar. Claro que o espaço necessário para um gato ou um cão é muito diferente. E entre um cão miniatura ou um de grande porte também. A hora do exercício pode e deve ser de cumplicidade e brincadeira e ideal para fortalecer os laços entre o tutor e o animal. Tenha em atenção que um gato não aprecia caminhadas de trela, pelo contrário, o mais provável é entrar em pânico e fugir ou trepar por si a cima e arranhá-lo;

Todos os animais precisam de amor e carinho, tal como nós, mas nem todos gostam dos mesmos mimos e brincadeiras.

Um gato é mais caprichoso e prefere ser ele a procurar o dono ao invés de ser agarrado contra a sua vontade.

Há raças de cães mais brincalhonas que gostam de correr e apanhar objetos e outras mais pachorrentas que apreciam belas sestas ao pé do dono.

É importante que gostemos deles, que  os apreciemos nas suas diferenças, como gatos e cães que são.

 

Cão ou gato?

Esta reflexão passa por saber o que mais se adapta ao seu estilo de vida e personalidade.

O cão por natureza é um animal social, que vive em conjunto com outros e respeita uma hierarquia entre os membros da matilha liderada pelo animal dominante, o dono.

Ao conviver com os seres humanos adapta-se bem, pois considera ser um membro da nossa família, como se de uma matilha se tratasse.

É um animal muito inteligente e com uma grande capacidade de aprendizagem, o que o ajuda a integrar-se como um membro que obedece ao líder.

O papel de líder desempenhado pelo dono é de extrema importância, pois fá-lo sentir mais confiante e tranquilo na sua presença e perante o que o rodeia.

Nunca se esqueça que não se trata de um ser humano, mesmo que seja muito pequeno e achemos que a única coisa que lhe falta é falar.

Se vive num apartamento, numa cidade e tem pouco tempo para levá-lo a passear, o nosso conselho é que não escolha um cão, por muito que goste dele, nervoso, de grande porte e que necessite de muito exercício diariamente. Nesse caso, será melhor optar por um animal de porte pequeno e tranquilo. Claro que, se estivermos dispostos a levá-lo a passear as vezes que forem necessárias, mesmo que tenhamos uma casa pequena, podemos escolher um cão de porte gigante ou mais ativo.

O gato é um animal de natureza mais solitária e noturna ( havendo muitas exceções que advêm da maneira como o educar) e o seu comportamento é muito diferente do exibido pelo cão. Os hábitos de higiene do gato tornam-no um animal muito peculiar e perfeito para a vida de interior, já que não liberta odor corporale aprende muito facilmente a utilizar a caixa de  areia (fazendo-o a partir dos 21 dias de idade).

O gato é o melhor animal de estimação para aqueles que adoram a independência e apreciam uma certa altivez, mas igualmente para pessoas que passam muito tempo em casaou que não têm tempo para levar o animal a passear. A única exigência é a de que respeite a sua própria personalidade, o que varia muito de gato para gato. Deve informar-se no seu veterinário como deve receber o seu futuro gatinho. Há algumas particularidades, por ex.: o gato não gosta de beber água perto do prato de comida,  é muito higiénico mas precisa que a caixa seja limpa uma a duas vezes por dia, ter um arranhador onde o gato possa afiar as suas unhas como o faria em liberdade poderá evitar que ele escolha os sofás, cadeiras e cortinados , ter uma caixatransportadora é essencial. Uma última advertência :os gatos não são brinquedos e podem reagir mal se forem assustados ou se uma criança os apertar.

Sexta, 19 de Julho de 19